Whatsapp libera duas novas funções importantes; Confira
Connect with us

Tecnologia

Whatsapp libera duas novas funções importantes; Confira

Atualização foi liberada a partir da última atualização do app

Publicado há

em

Freepik

O WhatsApp finalmente passou a reproduzir áudios em sequência de forma automática no Android. A solução, que faz várias mensagens parecerem uma só, estava sendo testada há alguns meses com usuários da versão beta, e, agora, foi liberada a partir da versão estável 2.19.150.

Com a novidade, o WhatsApp ajuda quem costuma receber muitas mensagens de voz seguidas de seus contatos. Para testar a reprodução em sequência, basta atualizar o aplicativo e começar a ouvir o primeiro áudio. Em seguida, o mensageiro inicia as demais mensagens por conta própria.

O app oferece um som curto para indicar o intervalo entre as mensagens. Há, também, outro sinal para marcar o término da reprodução. A versão para iOS do mensageiro já conta com a reprodução contínua desde outubro de 2018.

O serviço deverá exibir, em breve, em sua versão estável o nome de arquivos de áudio caso eles tenham sido anexados – e não criados dentro do aplicativo.

Beta

O app também começou a testar a exibição do número de vezes que uma mensagem foi encaminhada. Em tese, a informação seria uma alternativa para diminuir a disseminação de notícias falsas. Porém, ela deverá servir apenas para indicar para o autor o alcance que sua mensagem teve.

Notícia Relacionada:
Curta-metragem abordará afeto entre cães e pessoas em situação de rua da Capital

Ao tocar e segurar sobre a mensagem e selecionar a opção Dados, o autor poderá ver não só quando ela foi entregue e visualizada, mas também quantas vezes ela foi repassada para terceiros. Caso tenha sido encaminhada até 4 vezes, o app exibe uma seta para a direita com o texto “Encaminhada”. Em caso de 5 ou mais repasses, o aplicativo mostra o mesmo aviso, porém, com duas setas.

O recurso testado pelo WhatsApp é capaz de mostrar a quantidade de encaminhamentos de mensagens de texto, imagens, vídeos e áudios. Ele seria ainda mais útil se a informação também fosse apresentada para quem recebeu o conteúdo.

Golpe

A clonagem de contas do WhatsApp é uma antiga, mas vem sendo aperfeiçoada. Um novo golpe nessa linha se aproveita de números exibidos em anúncios na internet para transferir indevidamente as mensagens para outro aparelho.

A prática foi descoberta pela Kaspersky Lab, que identificou um aumento no número de casos de contas clonadas no WhatsApp. Segundo a empresa, os cibercriminosos têm como alvo pessoas que publicaram anúncios em sites de vendas e disponibilizaram um número de celular.

Notícia Relacionada:
Mulher é presa durante ação integrada que verificou normas de segurança, alvarás e denúncias de tráfico e prostituição no Centro da Capital

Com a informação, os autores do golpe enviam uma mensagem se passando pela empresa que hospeda o anúncio. A ideia é alertar a pessoa sobre uma suposta necessidade de manter o anúncio ativo com o envio de um código.

As mensagens apresentam algo como “Verificamos um anúncio recém postado, e gostaríamos de atualizar para que continue disponível para visualização” ou “Devido ao grande número de reclamações referente ao seu número de contato, estamos verificando”.

Em seguida, há o pedido para a pessoa informar um código recebido via SMS. A informação, que seria da plataforma de anúncios, é, na verdade, um código de ativação do WhatsApp. Ele é enviado para a vítima porque os cibercriminosos usaram seu número para configurar uma conta em outro celular.

Caso ela não perceba que se trata de mensagem do WhatsApp e envie o código, seu acesso é cancelado e a conta é transferida para o outro aparelho. Assim, mesmo com número diferente, os cibercriminosos terão acesso ao histórico de mensagens da vítima.

O golpe não para por aí: em seguida, eles se passam pela pessoa e enviam mensagens para os contatos mais recentes, em geral amigos e familiares, para pedir empréstimos para uma suposta emergência. Nas mensagens observadas pela Kaspersky, o valor chegava a R$ 2.100.

Notícia Relacionada:
Uber cria quiosque para pedir carro sem precisar de celular ou internet

Se a pessoa próxima à vítima estiver disposta a ajudar, os cibercriminosos perguntam qual o banco mais fácil para ela e enviam os dados da conta bancária de um “laranja”. A ação pode ser repetida até que a pessoa consiga recuperar sua conta, quando o estrago já pode ter sido grande.

O WhatsApp parece já saber da prática e adotou algumas medidas para evitar a clonagem de contas. Uma delas é simples: a mensagem de ativação de contas passou a exibir o aviso “Não compartilhe este código”. (O Sul)

loading...
Patrocínio