Vacinas para o Covid-19? Confira as novidades

Notícias

Vacinas para o Covid-19? Confira as novidades

Previsão de vacinação, vacina da Russia e mais
Anselmo Cunha/PMPA

Vacinação contra Covid poderá começar em dezembro no Brasil, diz secretário

“Se todos os estudos derem certo, nós iremos iniciar a campanha de vacinação [contra Covid-19] em dezembro.” A afirmação foi feita pelo secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros.

Ele explicou em entrevista à CNN Brasil que o Ministério da Saúde espera que até dezembro deste ano os medicamentos sejam aprovados, para que o primeiro lote da vacina de Oxford seja aplicado imediatamente na população.

O secretário disse que o Brasil receberá 15,2 milhões de doses neste primeiro lote e a vacinação poderá começar logo em seguida porque o país tem prática em campanhas de imunização em massa.

“A Secretaria de Vigilância em Saúde cuida do sistema nacional de imunização. Nossa capacidade de aplicar vacinas é de longa data, somos eficientes para aplicar no país inteiro de forma rápida”, afirmou Arnaldo Correia de Medeiros.

Virada do ano

Questionado pela CNN se 15 milhões de brasileiros poderiam passar a virada do ano já vacinados, Medeiros respondeu: “A gente espera que sim, esse é o nosso sonho. Estamos trabalhando arduamente para isso.”

O secretário explicou que, se a vacina de Oxford for aprovada, como o esperado, o país receberá até abril imunizantes que aplicar em quase metade da população brasileira.

“Fechamos acordo para o envio de 100 milhões de doses da vacina em três lotes. O número se baseia na campanha de vacinação contra a influenza no Brasil. O primeiro lote deve chegar na primeira quinzena de dezembro, com 15,2 milhões de doses, e o segundo terá o mesmo número de aplicações e chega entre dezembro em janeiro. O terceiro lote, de 70 milhões de doses chega entre março e abril”, afirmou.

Quem será vacinado primeiro

Os primeiros grupos a receberem a vacina serão os idosos, pessoas com comorbidades e os profissionais da saúde da linha de frente.

Arnaldo Correia de Medeiros contou que o Ministério da Saúde já está mobilizando suas equipes para montar uma estratégia de aplicação das vacinas para “não criar pânico nem tumulto” na população, para que seja um processo seguro.

O secretário lembrou do acordo feito entre o governo brasileiro e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com a Universidade de Oxford e a AstraZeneca – laboratório responsável pelo desenvolvimento da vacina – que garante ao Brasil a transferência da tecnologia do medicamento, que poderá ser produzido no laboratório de Bio Manguinhos, da Fiocruz.

Com informações da CNNBrasil

Dose única de vacina da Johnson & Johnson tem sucesso contra covid

Uma vacina de dose única contra a COVID-19 foi testada com sucesso em macacos Rhesus – um de nossos parentes mais próximos – e agora começaram os testes do imunizante em humanos.

A vacina da Johnson & Johnson, chamada Ad26, foi produzida usando um vírus do resfriado comum, que estimula o nosso sistema imunológico. Ela foi aplicada em 52 primatas e teve resultados animadores.

“A vacina Ad26 induziu a respostas robustas de anticorpos neutralizantes e forneceu proteção completa ou quase completa na lavagem broncoalveolar e nas zaragatoas nasais, após o desafio SARS-CoV-2”, disse o estudo publicado na Nature por cientistas do Center for Virology and Vaccine Research de Harvard, nos EUA.

Dose única

Financiada pelo governo dos EUA, a farmacêutica já iniciou os primeiros testes em humanos nos EUA e na Bélgica, informou a Reuters.

A J&J vai testar 1.000 adultos saudáveis ​​com idades entre 18 e 55 anos, além de adultos mais velhos.

Os autores observaram que uma dose única da vacina Ad26 é a solução perfeita para a pandemia, mas admitiram que uma administração de duas doses produziria uma defesa imunológica ainda mais forte.

“Esses dados demonstram uma robusta proteção vacinal de dose única contra o SARS-CoV-2 em primatas não humanos. A vacina ideal baseada em vetor Ad26 para SARS-CoV-2, denominada Ad26.COV2.S, está atualmente sendo avaliada em ensaios clínicos ”, informou a equipe de Harvard.

A proteção

O Ad26 produziu “proteção completa ou quase completa” no trato respiratório.

A resposta de anticorpos desencadeada pela vacina também teve eficácia de defesa após a administração.

Os resultados sugeriram que os efeitos protetores observados se devem à vacina e não ao sistema imunológico do macaco.

Com informações do GNN

Vacina contra covid ficará pronta em 2 semanas, garante Rússia

A Rússia planeja ter a primeira vacina contra o coronavírus do mundo pronta na próxima quinzena.

A vacina COVID-19, criada pelo Instituto Gamaleya em Moscou, deverá ser aprovada para uso público até 10 de agosto e depois administrada em médicos da linha de frente.

Algumas das outras vacinas que estão sendo trabalhadas em todo o mundo estão atualmente em sua terceira fase de testes, mas a vacina da Rússia ainda está em sua segunda fase, que deve ser realizada dia 3.

A terceira fase de testes será ao mesmo tempo em que médicos são vacinados. Isso exigirá uma injeção adicional, que é diferente de muitas vacinas, de acordo com a CNN.

A vacina do Instituto Gamaleya foi desenvolvida rapidamente, de acordo com cientistas russos, porque é baseada em uma vacina modificada usada para diferentes doenças, o que não é incomum.

Corrida Espacial

Kirill Dmitriev, diretor do fundo soberano da Rússia, que financiou a pesquisa de vacinas, fez comparação com a Rússia derrotando os EUA na época do lançamento do primeiro satélite de sucesso em 1957.

“Os americanos ficaram surpresos quando ouviram o bipe do Sputnik. É o mesmo com esta vacina. A Rússia chegará lá primeiro”, comparou.

Segundo a CNN, os críticos disseram que a Rússia estava correndo com a vacina porque os cientistas estavam sob pressão do Kremlin, para que o país fosse visto como o líder científico.

Nenhum dado foi divulgado e a segurança e eficácia da vacina ainda são desconhecidas.

Foco

Dmitriev disse que os cientistas não se apressaram em ser os primeiros, mas estavam focados em proteger as pessoas na Rússia, pois os casos do COVID-19 continuavam a subir.

Até agora, a Rússia tem o quarto maior número de casos no mundo, com mais 845 mil casos confirmados de COVID-19 e mais de 14 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins .

Em todo o mundo, existem mais de 100 possíveis vacinas em desenvolvimento, e pelo menos quatro delas estão em seus testes finais em humanos, na China, nos EUA e na Grã-Bretanha, informou a Reuters.

Com informações da Business Insider

loading...
Patrocínio
Patrocínio

Desenvolvido por: