Terapeuta suspeito de abusar de pacientes é indiciado por violação sexual mediante fraude em Canoas

Polícia

Terapeuta suspeito de abusar de pacientes é indiciado por violação sexual mediante fraude em Canoas

Documentos foram apreendidos pela polícia onde o terapeuta atendia
Polícia Civil / Divulgação

O terapeuta holístico, suspeito de abusar sexualmente de pacientes, foi indiciado pela Polícia Civil, na terça-feira (28), por violação sexual mediante fraude. Ele foi preso preventivamente no dia 29 de junho, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

A delegada responsável pelo caso, Clarissa Demartini, explica o que é o crime de violação sexual mediante fraude. “É quando a vítima consente com o ato sexual, mas a razão que faz ela consentir é um engano, é uma fraude, é um engodo. Ela consente, mas por um motivo diverso daquele que ela entende”, afirma.

Segundo a polícia, pelo menos 10 mulheres relataram ter sido vítimas de abusos cometidos por Pizzato durante sessões de terapia.

“Nesse atendimento, ele sugeria a elas que fosse feita a terapia sexual, era essa forma que ele denominava o tratamento realizado, onde começava os contatos sexuais que poderiam evoluir até, de fato, a relação sexual”.

A delegada diz ainda que as vítimas relataram que os abusos aconteceram por diversas vezes. Quando o terapeuta foi preso, ele admitiu a prática sexual durante a terapia, e defendeu que era uma “técnica de tratamento”.

(O Sul)

Patrocínio
Patrocínio

Desenvolvido por: