Quadrilha gaúcha teria feito mais de 10 mil vítimas no golpe do bilhete premiado – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Polícia

Quadrilha gaúcha teria feito mais de 10 mil vítimas no golpe do bilhete premiado

Alguns criminosos que era envolvidos com tráfico de drogas e roubos migraram para o crime do bilhete em razão da lucratividade

Publicado há

em

Foto: Agência Brasil

Créditos da foto da notícia: Foto: Arquivo/Agência Brasil.

Uma quadrilha que funciona no Norte do Rio Grande do Sul já teria feito mais de 10 mil vítimas no chamado “golpe do bilhete”. O esquema, que já dura cerca de 30 anos, cresceu após a migração de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas para a organização dos golpes, conhecidos pela lucratividade e pela impunidade.

O delegado Diogo Ferreira, responsável pela investigação do crime na região, afirma que muitas das vítimas – que, em sua maioria, são idosas – sequer denunciam o crime por se sentirem envergonhadas. “A cifra negra no estelionato do crime do bilhete é gigante, mais da metade das vítimas não procuram a Polícia por vergonha. A maioria das vítimas são idosos, e eles nem falam para seus filhos ou companheiros por vergonha, porque é um golpe antigo, é conhecido nacionalmente. Todo mundo conhece alguém que já caiu e isso gera uma vergonha interior”, explica.
[in_article]
A longevidade do negócio faz com que algumas das pessoas que lideravam o esquema já tenham, até mesmo, morrido. Entretanto, o homem considerado como o principal organizador do golpe do bilhete no norte do estado gaúcho permanece sob a condição de procurado.

Leia:
Homem comete suicídio após assassinar ex-mulher, no interior do Estado

Ainda conforme o delegado Diogo Ferreira, pelo menos 160 envolvidos já tiveram a identidade descoberta. As autoridades estimam que o número de membros da quadrilha ultrapasse a casa dos 500. “Alguns criminosos que era envolvidos com tráfico de drogas e roubos migraram para o crime do bilhete em razão da lucratividade e da não prisão. Isso foi juntando cada vez mais pessoas, hoje tem um número de 500 a 600 clubes do bilhete que atuam no Brasil em todas as regiões”, relata. O golpe do bilhete premiado funciona a partir da transferência de dinheiro para os criminosos em troca de um prêmio que, na verdade, não existe. A última operação policial contra o crime prendeu duas pessoas, acusadas de terem causado prejuízo na casa dos R$50 milhões. (Aristóteles Júnior | Band)

loading...
Patrocínio