Pyong Lee é detonado por se desfazer de gatos antes de entrar no BBB20 – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Variedades

Pyong Lee é detonado por se desfazer de gatos antes de entrar no BBB20

Motivo do hipnólogo foi o que causou mais revolta

Publicado há

em

Reprodução/Youtube

Pyong Lee tem acumulado uma série de polêmicas fora do confinamento do Big Brother Brasil 20, que ainda nem estreou na Globo. O hipnólogo, que foi detonado por ter aceitado entrar no reality show às vésperas de se tornar pai, agora está sendo massacrado pelos protetores de animais por se desfazer de seus gatos antes de participar do programa.

A justificativa do youtuber de deixar Quasar e Austin foi o que mais incomodou a comunidade: ele teria doado seus bichos alegando que eles poderiam fazer seu filho contrair toxoplasmose, segundo o Notícias da TV.

Pyong Lee se desfez dos bichanos em outubro de 2019, quando descobriu a gravidez da esposa, Sammy Lee. Os fãs perceberam que os felinos não apareciam mais em suas publicações e o questionaram sobre o sumiço. “Procura no Google. Porque é perigoso”, escreveu ele no Instagram.

De fato, ao buscar os perigos que os gatos podem trazer às crianças, os resultados apontam para a toxoplasmose, infecção, cegueira, má-formação do bebê, aborto espontâneo, entre outras complicações. Porém, os veterinários já desmentiram algumas destas informações alegando que, para contrair toxoplasmose, por exemplo, o ser humano precisa comer as fezes do gato ou levar a mão à boca após manusear a caixa de areia.

O BBB20 estreia nesta terça-feira, 21, após a novela ‘Amor de Mãe’.

Entenda mais sobre a doença Toxoplasmose
A toxoplasmose é infecção causada por um parasita, o protozoário Toxoplasma gondii.

Importante: a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) explica que a convivência com gatos não causa a doença. O perigo está no contato com as fezes contaminadas do felino, no consumo de água e alimentos contaminados mal lavados, mal cozidos ou ingeridos crus, principalmente carnes.

Orientações para evitar toxoplasmose:
Não ingerir carnes cruas, mal cozidas ou mal passadas;
Beber, sempre que possível, água tratada e sujeita a controle de qualidade;
Ferver a água não tratada antes de consumi-la;
Lavar as mãos ao manipular alimentos;
Após manusear carne crua, lavar bem as mãos e toda a superfície que entrou em contato com esse alimento e os utensílios utilizados;
Usar luvas e lavar bem as mãos após realizar atividades de jardinagem;
Usar luvas ao manipular fezes de gato;
Não consumir leite e seus derivados crus, não pasteurizados, seja de vaca ou de cabra.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ainda recomenda que os alimentos como frutas, legumes e hortaliças devam ser corretamente higienizados, uma vez que podem ser consumidos crus, a fim de eliminar micróbios patogênicos e parasitas.

Sintomas de toxoplasmose
Pessoas com o sistema imune intacto geralmente não desenvolvem sintomas de toxoplasmose. No entanto, o parasita pode persistir durante toda a vida no seu hospedeiro, havendo um risco de reativação da infecção em um momento posterior se o indivíduo tornar-se imunodeprimido.

A maioria das pessoas só descobre ter sido infectada pelo Toxoplasma gondii quando faz exames de sangue. Este fato é muito comum nas mulheres no pré-natal, pois a sorologia para toxoplasmose faz parte dos exames de rotina de uma grávida.

De acordo com o Ministério da Saúde, os sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao estágio da infecção, (agudo ou crônico). Os sintomas normalmente se assemelham à gripe e dengue, podendo incluir dores musculares e alterações nos gânglios linfáticos.

Pessoas com baixa imunidade: podem apresentar sintomas mais graves, incluindo febre, dor de cabeça, confusão mental, falta de coordenação e convulsões.

Gestantes: mulheres infectadas durante a gestação podem ter abortamento ou nascimento de criança com icterícia, macrocefalia, microcefalia e crises convulsivas.

Recém-nascidos: dos recém-nascidos infectados (Toxoplasmose Congênita), cerca de 85% dos casos não apresentam sinais clínicos evidentes ao nascimento. No entanto, essas crianças podem indicar alterações como restrição do crescimento intrauterino, prematuridade, anormalidades visuais e neurológicas. Sequelas tardias são mais frequentes na toxoplasmose congênita não tratada. Há casos relatados de surgimento de sequelas da doença, não diagnosticadas previamente, ocorrendo apenas na adolescência ou na idade adulta.

Os recém-nascidos que apresentam manifestações clínicas podem ter sinais no período neonatal ou nos primeiros meses de vida. Esses casos costumam ter, com mais frequência, sequelas graves, como acometimento visual em graus variados, retardo mental, anormalidades motoras e surdez. As sequelas são ainda mais frequentes e mais graves nos RN que já apresentam sinais ao nascer, com acometimento visual em graus variados, retardo mental, crises convulsivas, anormalidades motoras e surdez.

Fonte: Catracalivre

loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: