Pavimentação de vias é prioridade em temática do Orçamento Participativo
Connect with us

Polícia

Pavimentação de vias é prioridade em temática do Orçamento Participativo

Lemos reforçou que pedidos não podem ficar somente no papel

Publicado há

em

Foto: Luciano Lanes/PMPA

Os participantes da plenária temática Circulação, Transporte e Mobilidade Urbana do Orçamento Participativo elegeram a pavimentação de vias como prioridade de investimentos para o ciclo 2019/2020. O encontro ocorreu na noite desta terça-feira, dia 8, na Casa do Gaúcho, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, e contou com a participação de mais de 150 pessoas.

As outras três prioridades eleitas foram reformas de vias, paradas seguras (abrigos e sinalização) e duplicação e alargamento de vias. Também foi eleita, por aclamação, ao final do encontro, a chapa única dos conselheiros que irão representar a temática de circulação, transporte e mobilidade urbana. O primeiro titular será Lino Pereira Leite, o segundo, Paulo Sérgio Monteiro, Volni Rocha e Giovane Ribeiro Machado serão os suplentes.

Durante o encontro, o diretor da Divisão de Conservação de Vias Urbanas (DCVU), Nilton Magalhães, falou sobre as realizações e os planos da atual gestão na área de pavimentação. O plano para investimentos de R$ 210 milhões e os mais de 4.424 serviços em 1.441 vias diferentes feitos pela Operação Tapa-Buraco na cidade foram alguns dos temas apresentados. “Vamos investir na requalificação funcional e estrutural da malha viária, a média de investimentos nessa área tradicionalmente era de R$ 15 milhões por ano, agora vamos investir R$ 200 milhões nos próximos 18 meses”, diz Nilton.

Notícia Relacionada:
Padre é morto durante assalto em igreja de Brasília; corpo foi encontrado com pés e mãos amarradas

Em seu pronunciamento, o secretário extraordinário de Mobilidade, Rodrigo Tortoriello, destacou ações como o número recorde de redução de mortes no trânsito e GPS em 100% da frota de ônibus. “Aqui no Orçamento Participativo, que é referência em participação popular, é importante destacar o projeto de priorização do transporte coletivo, que vai mais do que dobrar as faixas exclusivas de Porto Alegre, o que torna mais democrático o espaço público. De 1977 até 2019 foram implantados 17 quilômetros de faixas, agora, nos próximos seis meses, vamos implementar mais 22 quilômetros”, explica Tortoriello.

Orçamento real – O secretário municipal das Relações Institucionais (SMRI), Christian Lemos, apresentou um histórico demonstrando que em 2017 havia mais de de 2,3 mil demandas atrasadas do OP, algumas desde 1994, sendo necessário R$ 1,5 bilhão para zerar esse passivo. “Tivemos nos últimos dois anos e meio uma parceria muito forte com os conselheiros do OP, que foi sensível com a situação do município, entendeu que não tínhamos como abrir novas demandas, assumir novos compromissos. Agora, com o apoio de boa parte dos vereadores, conseguimos retomar projetos importantes para a cidade e retomar nossa capacidade de investimento, olhar para frente e ver um futuro melhor”, diz. Para Lemos, as entregas ainda estão longe do que o governo e a população querem, mas o compromisso é o de colocar no orçamento somente aquilo que se tem a garantia de que será executado no ano seguinte. “Isso é mais justo com todos, orçar aquilo que podemos fazer, e não deixar o pedido somente no papel por anos”, reforça.

Notícia Relacionada:
Motorista de aplicativo é encontrado com as mãos amarradas e diversos tiros no rosto

Também estiveram presentes na assembleia o vice-prefeito, Gustavo Paim, os adjuntos de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Nelcir Tessaro, e das Relações Institucionais, Filipe Tisbierek, e o diretor de Participação Cidadã da prefeitura, Giovane Byl, além de delegados e conselheiros do OP.

Educação – Nesta quarta-feira, a assembleia temática do OP será sobre Educação, Esporte e Lazer. O encontro ocorre a partir das 19h na Casa do Gaúcho, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho. (PMPA)

loading...
Patrocínio