Paralisação de professores estaduais deve afetar aulas na segunda e terça-feira em todo o RS – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Notícias

Paralisação de professores estaduais deve afetar aulas na segunda e terça-feira em todo o RS

Uma nova assembleia para decidir sobre possível greve está marcada para o dia 27

Publicado há

em

Foto: Reprodução

Uma paralisação dos professores estaduais está marcada novamente para esta segunda-feira (02). A ação acontece no início de todo mês desde abril como protesto ao parcelamento de salários, que já acontece pela 45º vez no Rio Grande do Sul. Na terça-feira (03), um ato também está previsto para às 10 horas da manhã em Porto Alegre que solicita a realização do concurso público imediato, previsto em lei.

De acordo com o diretor da diretoria central do Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul, Daniel Damiani, a situação da categoria é agravada pela falta de reajuste salarial.

“A gente está exigindo emergencialmente os 32%, que é o valor da inflação desde o último reajuste que tivemos em novembro de 2014. Queremos estes 32% para ter o mesmo padrão de vida que tínhamos no final de 2014. E queremos que o governo apresente um plano para pagar o piso salarial nacional. A defasagem do salário dos professores com relação ao piso é mais de 100%, por isso que a metade dos educadores hoje recebe um completivo para chegar até o piso”.

Outra demanda da categoria é a garantia do futuro dos profissionais que foram admitidos em contratos emergenciais.

“O governo Leite instaurou desde o início do ano uma nova modalidade de contrato emergencial que contrata no início do ano e encerra em dezembro. Isso está gerando uma apreensão enorme na categoria. A maioria dos que foram contratados neste ano ainda não receberam salário, pessoas que foram contratadas em abril não receberam ainda e não estão trabalhando ou indo para as escolas com ajuda de familiares.

“O governador falou que vai resolver esta questão e o secretário de educação pensa em prorrogar estes contratos e não encerrar em dezembro. Estamos com uma falta tremenda, e se encerrar em dezembro vai comprometer o início do ano letivo”.

Um pedido de investigação das contas do governo do estado foi protocolado pelo CPERS no Tribunal de Contas do Estado. O sindicato ainda organiza um congresso para a semana que vem. Uma nova assembleia está marcada para o dia 27 de setembro. O objetivo é construir novo calendário de mobilização para que o governo Eduardo Leite negocie a questão salarial. (Gabriela Plentz | Band)

loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: