Organização da Parada Livre diz que Prefeitura quer cobrar taxas para realização do evento – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Notícias

Organização da Parada Livre diz que Prefeitura quer cobrar taxas para realização do evento

23ª edição da Parada Livre de Porto Alegre acontece dia 8 de dezembro e tem como tema “Sem vergonha de ser quem somos”.

Publicado há

em

Foto: Marco Quintana | JC

Do Sul21

O coletivo de entidades que organiza a Parada Livre de Porto Alegre está lutando contra a cobrança de taxas por parte da Prefeitura de Porto Alegre para o uso do Parque da Redenção no dia 8 de dezembro, quando irá acontecer a 23ª edição do evento. Segundo a estimativa do coletivo, que é baseada em conversas realizadas entre os movimentos sociais e a Prefeitura no ano passado, as taxas, que correspondem a valores referentes à limpeza do local e ao uso do espaço público, podem ficar entre R$ 10 mil e R$ 20 mil. Em 2018, foi a primeira vez que o movimento recebeu a cobrança, mas acabou negociando a isenção. Em 2017, pela primeira vez em 21 anos, o governo municipal deixou de apoiar financeiramente o evento, mas ainda assim arcava com a estrutura pública: EPTC, DMLU e Guarda Municipal.

Para tentar conseguir a isenção das taxas neste ano, a organização da Parada solicitou, por meio de ofício, uma reunião com o Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade. “Estamos tentando conseguir a isenção porque trata-se de um evento que não visa lucro e que é organizado por movimentos sociais. É diferente de uma feira, que vai vender produtos e tudo mais. A Parada não visa lucro. Outra coisa é que a Parada está no calendário oficial de eventos de Porto Alegre, então, é algo que nos faz acreditar que não há a necessidade de cobrar as taxas”, explicou o integrante do grupo Nuances e representante do coletivo de entidades que organiza a Parada Livre, Célio Golin.

De acordo com Golin, o evento é organizado por movimentos sociais e custeado por doações da população e patrocínios pontuais de empresas. “No ano passado já tivemos que enfrentar esse pedido das taxas por parte da Prefeitura e este ano novamente isso. Depois que entramos com pedido para reservar a Redenção para o evento, eles mandaram e-mail para a gente acertar as taxas”, disse.

Golin lembra que no mês de junho deste ano foi realizada uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Porto Alegre com a presença do Coordenador Municipal da Diversidade Sexual e Gênero da Prefeitura de Porto Alegre, Dani Boeira, em que a Prefeitura se comprometeu com a isenção das taxas.

Procurada pelo Sul21, a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE) afirmou que a guia de cobrança das taxas foi gerada automaticamente pelo sistema da Prefeitura, uma vez que no processo ingressado pelas entidades para a realização da Parada no Parque da Redenção constava “uma declaração de que haverá uma marca comercial vinculada ao evento”.

A SMDE afirma que em casos em que há uma marca comercial vinculada a algum evento que acontecerá em espaço público a isenção das taxas é contra a lei. Porém, a Secretaria também afirma que, apesar das guias terem sido geradas automaticamente, a cobrança não é definitiva e ainda existe margem para negociar a isenção.

Ainda segundo a SMDE, o secretário Cidade está estudando a realização da reunião com a organização do evento, mas não há uma data definida para o encontro. A Secretaria também disse que Cidade está vendo a possibilidade de que os secretários do Meio Ambiente e de Serviços Urbanos participem da reunião com a organização da Parada.

O ofício enviado à Secretaria argumenta que a manifestação é realizada anualmente em Porto Alegre desde o ano de 1997 e reúne dezenas de milhares de pessoas vindas de várias cidades e de outros estados do país, o que aquece a economia da cidade e gera renda principalmente para os pequenos negócios, que são os que mais empregam pessoas na Capital.

O documento também ressalta que a Lei Municipal n.º 12.386/2018 incluiu a Parada Livre de Porto Alegre no Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do Município de Porto Alegre/RS, previsto na Lei Municipal n.º 10.904/2010, de maneira que a Prefeitura compromete-se, nos termos do art. 4º desta Lei, a estimular a participação da sociedade civil organizada na programação e execução das ações relacionadas à Parada Livre de Porto Alegre/RS.

Neste ano, a Parada Livre, que acontece das 14h até às 22h, tem como tema ‘Sem vergonha de ser quem somos’, em alusão à necessidade de que a população LGBTI+ não esconda se escondam no cenário de avanço do conservadorismo no Brasil. Ainda, a edição deste ano também marca os 50 anos do Levante de Stonewall.

loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: