O Ministério Público quer acabar com um game on-line inspirado em Bolsonaro, por avaliar que o jogo faz o Brasil “passar vergonha” – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Política

O Ministério Público quer acabar com um game on-line inspirado em Bolsonaro, por avaliar que o jogo faz o Brasil “passar vergonha”

Publicado a

em

Depois de duas derrotas seguidas, o MP-DF (Ministério Público do Distrito Federal) desenvolveu uma nova estratégia para tentar retirar do ar o jogo on-line “Bolsomito 2k18”. Na modalidade de “game”, um personagem que reproduz a imagem do presidente eleito Jair Bolsonaro espanca feministas, gays, negros e integrantes de movimentos sociais.

Depois de falhar ao pedir a retirada dos jogos por meio de canais administrativos e de conseguir o procedimento em uma ação civil pública, o MP está agora processando a Valve (empresa dona da Steam, plataforma onde o jogo está sendo vendido). O objetivo é tentar forçá-la não apenas retirar o jogo da loja como também fornecer ao órgão os dados cadastrais e financeiros da BS Studios, empresa que desenvolveu o “Bolsomito 2k18”).

O Ministério Público argumenta que o jogo acarreta uma violação do direito de personalidade do presidente eleito Jair Bolsonaro, o que estaria gerando danos morais a todos os brasileiros ao mostrar o futuro presidente do País espancando seus adversários políticos.




Além disso, como todos os inimigos presentes no jogo fazem parte de grupos minoritários (mulheres, negros, integrantes da comunidade LGBTQIA+ e de movimentos sociais), ele também se enquadra na categoria de incitamento de ódio às minorias.

A ação foi ajuizada pela Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial do órgão e, segundo o promotor de Justiça Frederico Meinberg, coordenador do MPDFT, ao mostrar o presidente eleito espancando pessoas pela rua, o jogo faz o Brasil “passar vergonha” perante o resto do mundo.

Inimigos

Lançado em 5 de outubro, “Bolsomito 2k18” mostra o presidente eleito enfrentando um “exército vermelho” composto por integrantes de grupos sociais minoritários, e faz alusões óbvias a figuras públicas como o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (candidato do PT à presidente da República na eleição deste ano 2018), e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Roussef, além do jornalista William Bonner, apresentador do programa “Jornal Nacional” (Rede Globo).

O game é do tipo “Beat ‘em up” (também conhecido como “brawlers”), focado no combate corpo-a-corpo contra múltiplas ondas de inimigos. Geralmente a ação se desenrola em cenários urbanos, onde a trama gira em torno do combate ao crime ou na vingança do protagonista, embora também há jogos com temas fantasiosos e históricos.

Os jogos tradicionais tomam forma em cenários renderizados em duas dimensões com vários planos de movimentação, porém os mais recentes geralmente são totalmente em três dimensões. Este gênero é notado devido a sua jogabilidade simples e a constante presença de modos cooperativos de dois a quatro jogadores.




Os jogos baseados em “beat ‘em up” com armas de pequeno alcance são frequentemente chamados de “hack and slash”. Embora armas de fogo possam aparecer, diferente dos jogos de “shoot ‘em up”, o propósito do jogo e o progresso principal do jogo é luta mano a mano contra uma horda de inimigos.

“Beat ‘em up” é um gênero distinto dos jogos de luta. Há várias características que os distinguem. Beat ‘em ups realizam-se sobre um grande nível, com a tela que “rola” como os movimentos de jogador pela etapa. Os jogos de luta competitivos desenvolveram-se para incluir uma maior variedade de ataques que o jogador pode usar, enquanto os beat ‘em ups oferecem menos ataques com um esquema de controle mais simples.

Nesse tipo de jogo de luta, um ou vários jogadores (muitas vezes dois, mas às vezes não menos que seis) escolhem um personagem único e agrupam-se em socos, chutes, agarrões, em um caminho cortado por uma horda de inimigos controlados pelo computador. Assim, diferentemente dos jogos de luta, quando vários jogadores jogam simultaneamente, eles não lutam um contra o outro.

Raramente, os jogadores são capazes de causar dano um a ou outro, mas isto é exceção e não a regra. A luta ocorre em uma série de etapas rolam para o lado, alguns com um inimigo chefe poderoso no fim. Muitos “beat ‘em up” são caracterizados por que além do movimento esquerda e direita (e/ou saltar/agachar) os jogadores também podem mover-se verticalmente, dentro e fora da cena.

Patrocínio

Publicidade

Patrocínio

Oportunidade

AO LADO DA ENCOL

Patrocínio