O Canadá está recrutando brasileiros: empresas oferecem salários de até 16 mil reais – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Oportunidades

O Canadá está recrutando brasileiros: empresas oferecem salários de até 16 mil reais

Publicado a

em

Já pensou em morar e trabalhar no Canadá? A Québec International, agência de desenvolvimento econômico da cidade canadense, está recrutando brasileiros com experiência nas áreas de TI, usinagem e saúde. São mais de 200 vagas, e a média dos salários oferecidos varia de 41,2 mil a 65,5 mil dólares canadenses por ano – de R$ 121,1 mil a R$ 192,3 mil por ano, ou de R$ 10,1 mil a R$ 16 mil por mês, na cotação de segunda-feira (26).

As inscrições podem ser feitas gratuitamente até 6 de janeiro de 2019 no site da agência recrutadora. Os currículos devem ser enviados em francês. As entrevistas serão por videoconferência via Skype, em francês, entre 18 de fevereiro e 1º de março, com os executivos das empresas contratantes.

Se escolhido, o profissional assinará um contrato temporário, com duração de um a três anos, que pode ser renovado de acordo com a necessidade da companhia. Segundo a agência, os gestores darão suporte nos trâmites de imigração junto às autoridades locais e custearão todos os gastos do processo de recrutamento.

Salários e requisitos para as vagas

Para a área de TI, a média salarial das vagas é de 65,5 mil dólares canadenses (R$ 192,3 mil) por ano. As qualificações mais buscadas são: Java, C#, C++, Net, BI, SAP, Microsoft SharePoint, Cobol e visual studio. O segmento de usinagem tem vagas para montadores, soldadores, mecânicos industriais, eletromecânicos, operadores de máquinas CNC e mecânicos de caminhão. A média dos salários oferecidos é de 43,3 mil dólares canadenses (R$ 127,2 mil) por ano.

Na área de saúde, as oportunidades são para profissionais com experiência em enfermagem. A média salarial anual é de 41,2 mil dólares canadenses (R$ 121,1 mil).

Mercado promissor

Em abril deste ano, 98 brasileiros foram recrutados pelo programa – um total de 300 desde o início da ação. A qualificação dos profissionais e a fácil adaptação ao idioma francês e à cultura quebequense atraem as empresas locais.

Refugiado

Um refugiado sírio que ficou mais de seis meses preso no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, chegou ao Canadá nesta terça-feira, após obter asilo graças a uma campanha pública de apoio. Hassan al Kontar, de 36 anos, aterrissou no aeroporto de Vancouver após fazer escala em Taiwan. Já em território canadense, o cidadão sírio foi recebido por Laurie Cooper, uma das voluntárias que possibilitou a sua chegada.

Cooper, junto com outros cidadãos canadenses e a Associação Muçulmana da província da Colúmbia Britânica, se ofereceram a patrocinar Kontar para facilitar que o governo canadense concedesse o refúgio. O refugiado disse em Vancouver que não acreditou que poderia sair de Kuala Lumpur até ver a passagem de avião.“Ele me disse que, enquanto não chegasse ao Canadá, nada era seguro”, explicou Cooper.

O refugiado sírio afirmou com humor que está cansado de aeroportos e que agora prefere viajar de carro ou, até mesmo, de cavalo, caso seja necessário. Por enquanto, Kontar deve ficar na cidade de Whistler, nas montanhas ao norte da cidade de Vancouver e onde em 2010 foram disputados os Jogos Olímpicos de Inverno. Em Whistler residem Cooper e outros canadenses que patrocinaram o refúgio.

Antes de chegar ao Canadá, do aeroporto de Taiwan, Kontar postou um vídeo no Twitter no qual agradeceu a todos que o apoiaram nos últimos meses, assim como os voluntários canadenses que tornaram possível que o Canadá concedesse refúgio.

Os voluntários canadenses criaram um site para arrecadar fundos que permitiram que Kontar comprasse a passagem aérea. Ele vivia nos Emirados Árabes, mas desde 2012 estava sem o passaporte sírio e residência legal, e se negava a retornar ao país natal por receio de ser detido e forçado a servir nas forças armadas da Síria.

Em outubro de 2017, Kontar viajou para a Malásia e, após vários meses no país, tentou chegar ao Equador, via Camboja, para solicitar refúgio no país sul-americano. Mas as autoridades cambojanas o devolveram a Kuala Lumpur, onde permaneceu como o personagem que Tom Hanks interpretou no filme “O Terminal”, no terminal de desembarque do aeroporto internacional porque o seu visto tinha expirado.

Patrocínio

Publicidade

Patrocínio

Oportunidade

AO LADO DA ENCOL

Patrocínio