Número de mortes no trânsito em Porto Alegre teve queda de 7,5% em comparação a 2018
Connect with us

Trânsito

Número de mortes no trânsito em Porto Alegre teve queda de 7,5% em comparação a 2018

Atropelamento lidera como a principal causa de morte.

Publicado há

em

Foto

Um balanço divulgado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação mostrou que o número de mortes no trânsito de Porto Alegre reduziu 7,5% no primeiro semestre de 2019, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram registrados 40 casos nos primeiros seis meses deste ano, contra 43 em 2018.

De acordo com o Diretor de Operações da EPTC, Paulo Ramires, o resultado obtido é fruto de um trabalho desenvolvido ao longo dos anos:

“A gente vem tentando ter decréscimo no número de acidentes com óbitos em Porto Alegre. Os resultados vêm de um trabalho integrado que envolve ações de fiscalização, engenharia e de educação para o transito também.”

Segundo o levantamento da EPTC, 85% dos acidentes com morte foram por atropelamento ou vítimas que estavam pilotando ou na carona de motocicletas.

Notícia Relacionada:
Procissão motorizada foi marcada pelas tradicionais imprudências dos condutores

Em contrapartida ao resultado positivo na diminuição de óbitos em acidentes de trânsito, houve um acréscimo de 6,2% nos números de acidentes registrados no tráfego de Porto Alegre no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período em 2018.

Conforme o diretor, o balanço é o pontapé inicial de um estudo que tem como o objetivo implementar ações que minimizem os riscos no tráfego na capital gaúcha:

“Justamente estudando junto do trabalho do Grupo de Prevenção de Acidente de Trânsito, analisando todos os dados dos acidentes do primeiro semestre e desses resultados de agora, nós vamos tirar ações que vão nos orientar naquilo que precisamos fazer no segundo semestre pra reduzir ainda mais esse número.”

O levantamento da EPTC também identificou que excesso de velocidade, avanço de sinal, conduzir o veículo embriagado ou sem carteira de motorista foram os principais fatores que motivaram os acidentes analisados. (Everton Calbar | Band)

Patrocínio