Novos casos reforçam importância da vacinação contra o sarampo neste sábado – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Saúde

Novos casos reforçam importância da vacinação contra o sarampo neste sábado

Pais ou responsáveis devem levar aos postos de saúde a caderneta de vacinação da criança

Publicado há

em

Foto: Divulgação

Este sábado (19/10) será o Dia D de vacinação contra o sarampo em todo o país para crianças acima dos 6 meses e menores de 5 anos. A orientação da Secretaria da Saúde (SES) e do Ministério da Saúde é que todas as mais de 1,8 mil salas de vacinas estejam abertas extraordinariamente neste dia para a imunização. A vacinação é a forma mais eficaz de se proteger da doença, que neste ano já teve 17 casos confirmados no RS, dois deles nesta semana.

O quantitativo de Unidades Básicas (UBS) abertas neste sábado e os horários de atendimento serão definidos pelos municípios, a quem cabe a gestão dos serviços. Esta é uma campanha de vacinação seletiva, o que significa que não há a necessidade de vacinar todas as crianças. A estratégia tem por objetivo resgatar aquelas não vacinadas ou que estejam com alguma dose em atraso. Assim, o profissional de saúde poderá conferir se há alguma dose para receber e orientar a pessoa. A campanha foi aberta no dia 5 deste mês e vai até a sexta-feira de próxima semana (dia 25).

Leia:
Conheça cinco frutas que saciam e reduzem a fome até duas horas

Vacinar contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito. O calendário básico de vacinação oferece duas vacinas contra o sarampo. A primeira é aos 12 meses de idade, com a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. A proteção precisa ser completada aos 15 meses com uma dose da tetra viral, que imuniza para as mesmas três doenças mais a varicela (ou catapora).

Além dessas duas doses, em virtude do surto da doença no Brasil, o Ministério da Saúde está recomendando uma dose extra para as crianças entre os 6 e 12 meses. Ela não substitui a primeira dose (aos 12 meses) e por isso é chamada de “dose zero”. Essa faixa etária específica, para a qual não se previa a vacina, é no momento a com maior incidência da doença no país (com 92 casos por 100 mil habitantes). Isso é mais de quatro vezes superior ao segundo recorte de idade com maior taxa, que são as crianças entre 1 e 4 anos (21 casos por 100 mil habitantes).

Leia:
Dia D contra o sarampo imuniza 2.346 pessoas em Porto Alegre

Casos no RS e Brasil

Somente nos últimos 90 dias, o país teve mais de 6,6 mil casos de sarampo confirmados. Até o momento, 97% dos casos estão concentrados em São Paulo, mas a doença já teve registros em outros 19 Estados. Entre eles está o Rio Grande do Sul, que nesta semana teve a confirmação laboratorial de mais dois casos, aumentando para 17 o número já registrado no ano. Os dois novos foram em residentes de Gravataí (feminino, 5 meses de idade) e Porto Alegre (masculino, 23 anos).

Histórico do sarampo no RS:

2019: 17 casos (até 17/10)
2018: 47 casos
2012-2017: sem casos registrados
2011: 8 casos
2010: 7 casos

Leia:
Nome sujo? Veja estas dicas antes de renegociar sua dívida no Feirão do Serasa

A doença

Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às secretarias municipais de saúde ou para o Disque Vigilância, pelo número 150. (RS.Gov)

Patrocínio