‘Não iremos recuar’, diz Manuela D’Ávila (PCdoB) sobre 2018 – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Política

‘Não iremos recuar’, diz Manuela D’Ávila (PCdoB) sobre 2018

Publicado há

em





Enquanto o PT diz que o lançamento pelo PCdoB de um nome à Presidência da República é apenas “para emplacar vice de Lula”, a deputada gaúcha Manuela D’Ávila disse que sua candidatura, anunciada no domingo, é “para valer” e que “veio para ficar”. A declaração foi feita durante entrevista coletiva para confirmar sua candidatura na tarde desta quarta, no Salão Verde do Congresso, em Brasília.

Segundo o PCdoB, a candidatura de Manuela à Presidência é a segunda do partido em 95 anos de história. A primeira foi a do também gaúcho Iedo Fiuza, em 1945, na época que o partido se chamava PCB (Partido Comunista Brasileiro).




Ao mesmo tempo em que reforçou a independência do PCdoB na eleição de 2018, sem chance de recuar “por pressão de outros partidos”, Manuela anunciou que sua sigla busca formar uma “frente ampla” com legendas de esquerda que queiram buscar soluções para a crise política e econômica do país.

“Uma das ideias centrais do PCdoB é a defesa de uma frente ampla e popular, não se trata de ruptura com o PT, com quem temos relação fraterna”, disse a deputada. Questionada se uma chapa do PCdoB poderia enfraquecer a candidatura do PT, Manuela respondeu que é “impossível que uma candidatura comprometida com o fortalecimento do país enfraqueça qualquer projeto”.



“A nossa candidatura não surge por nenhuma relação ligada aos outros partidos, mas do nosso partido e nossa avaliação sobre o que o nosso país vive. Achamos que tem que ter a presença do Lula [na eleição]. A ausência [de Lula] agravará a crise institucional que o Brasil vive e precisamos construir saídas [para a crise]. Nossa candidatura tem relação com as nossas ideias para o Brasil, com as alternativas que queremos apresentar”, disse Manuela. (Veja)



loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: