Motorista de aplicativo desvia rota e estupra jovem de 19 anos em SP – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Polícia

Motorista de aplicativo desvia rota e estupra jovem de 19 anos em SP

Crime ocorreu em Sorocaba, na madrugada da última sexta-feira (22). Por meio da base de dados do aplicativo, suspeito foi identificado pela polícia

Publicado há

em

Reprodução

Uma jovem de 19 anos foi estuprada por um motorista de aplicativo na madrugada da última sexta-feira (22), em Sorocaba, interior de São Paulo. A vítima, que não quis revelar sua identidade, contou que o motorista saiu da rota para o destino, estacionou o carro e foi ao banco de trás, onde consumou o ato. As informações são da Record TV.

Leia mais: Motorista de aplicativo é preso acusado de estuprar passageira

Ela registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher de Sorocaba. A polícia já identificou o suspeito com as informações do motorista, que ficam armazenadas no aplicativo. A delegada que investiga o caso afirmou que ele deve prestar depoimento nos próximos dias.

A mulher é casada e mãe de um bebê de um ano de idade. Ela passará por tratamento psicológico e tomará remédio nos próximos 30 dias para evitar a gravidez e a contração de doenças venéreas. A vítima está muito abalada e espera que o agressor seja preso o quanto antes.

O caso

O crime aconteceu por volta de 1h da madrugada de sexta-feira, dia 22. A ajudante de cozinha tinha encerrado o turno de trabalho em um bar na Avenida Washington Luiz, em Sorocaba, quando chamou o motorista de aplicativo para ir embora para casa.

Durante a corrida o motorista agiu normalmente, de acordo com o depoimento da vítima na delegacia. Porém, no meio do caminho, ele começou a perguntar se ela era casada, se já havia traído o marido e se o faria se tivesse oportunidade.

Leia:
Inédito no mundo, primeiro anticoncepcional injetável masculino pode estar disponível em poucos meses

Ela estranhou, mas continuou a corrida. Em certo momento, percebeu que ele estava seguindo a direção errada. O motorista parou o carro em uma rua escura e deserta, encerrou o trajeto no aplicativo, passou para o banco de trás e travou as portas.

Em seguida, cometeu o abuso sexual. Depois do estupro, o suspeito voltou ao banco da frente, levou a vítima até a casa dela e ainda a fez pagar pela corrida. Além disso, a jovem também relatou aos policiais que o homem pediu o número do celular dela, dizendo que “sabia onde ela morava”.

Investigações

Em nota, a Uber disse que lamenta o crime e que está à disposição das investigações. A empresa também afirmou que a conta do motorista foi desativada. A SSP (Secretaria de Segurança Pública) diz que a vítima ainda pode passar por exames periciais no IML (Instituto Médico Legal).

Fique de olho

Algumas informações básicas sobre o motorista e sobre o veículo ajudam a evitar situações de risco. A Uber, a 99, a Cabify e a Lady Driver exibem o nome, o modelo do carro e a placa assim que a corrida é confirmada.

“É importante que o passageiro verifique a placa do carro antes de entrar no veículo e também confirme se o nome e a foto do motorista parceiro correspondem às informações do aplicativo”, explica Luis Saicali, diretor de operações no Brasil da Cabify.

Leia:
Duplo homicídio é registrado na madrugada desta quarta-feira, na zona norte de Porto Alegre

Leonardo Soares, Diretor de Segurança da 99, orienta os passageiros a “jamais embarcar caso haja outra pessoa que você não conhece no carro, além do motorista”.

No caso dos carros da Lady Driver, serviço exclusivo para mulheres, vale procurar pelo adesivo de identificação da empresa.

“Nós temos muitos carros adesivados. Isso facilita a identificação no momento do embarque e dá mais segurança para a motorista e para a passageira”, afirma Gabryella Correa, fundadora do aplicativo Lady Driver.

Comportamento de risco

Os smartphones são objetos de valor que podem chamar a atenção durante os minutos em que o passageiro aguarda na calçada em frente a um prédio ou a um estabelecimento.

“Caso isso não seja possível, mantenha o celular guardado e verifique a evolução da corrida de tempos em tempos”, diz Leonardo Soares, Diretor de Segurança da 99.

O celular usado pelos motoristas para trabalhar também oferecem risco por ficar em uma posição muito aparente para quem está passando na rua.

“Nós orientamos nossas motoristas a usar celulares em posição mais discreta e também diminuir o brilho da tela do aparelho para não chamar muito a atenção”, afirma a fundadora do Lady Driver.

Verifique no seu aplicativo se não há um botão Chamado SOS ou Emergência, alguns aplicativos, como o 99pop têm esse recurso, que manda um aviso para a central de que errado está acontecendo em sua corrida.

Leia:
Após chuvas, frio chega a Porto Alegre

Deixe avisado

O GPS do carro pode ser um recurso de segurança eficiente para quem usa o serviço de carro compartilhado. Além de mostrar qual será o trajeto pelo qual o motorista irá dirigir pode revelar possíveis desvios de caminho.

Leia mais: Qual é a melhor película para proteger a tela do seu celular?

A maioria dos apps permite compartilhar a localização em tempo real com um amigo ou familiar. Assim, durante a corrida, uma pessoa que está fora do carro pode confirmar que a corrida foi iniciada e concluída sem qualquer contratempo.

Fazer uma avaliação positiva ou negativa do motorista também é uma maneira de se comunicar com outros usuários.

Cuidado com vantagens

Algumas pessoas aproveitam locais de grande movimentação para oferecer o serviço de transporte por um preço pré-combinado. Além do perigo de embarcar no carro de um desconhecido, a prática é considerada transporte clandestino de passageiro segundo a lei.

“Os passageiros devem sempre chamar os carros pelo app. Aeroportos e rodoviárias são locais em que condutores costumam se identificam como motoristas de aplicativos e fazem “por fora” dos aplicativos e cobram “mais barato'”, explica o executivo da Cabify.

(R7)

Patrocínio