Homem é preso por abuso sexual de duas crianças e por produzir pornografia infantil em Porto Alegre – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Polícia

Homem é preso por abuso sexual de duas crianças e por produzir pornografia infantil em Porto Alegre

O preso vai responder por estupro de vulnerável e por produzir as imagens pornográficas durante o ato de violência sexual contra as crianças.

Publicado há

em

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu em flagrante um advogado e professor universitário suspeito de produzir e arquivar pornografia infantil, nesta sexta-feira (4). O homem, que não teve o nome divulgado, foi preso em sua residência, no bairro Praia de Belas, em Porto Alegre. O fato ocorreu durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em inquérito em que ele é investigado por estupro de crianças.

De acordo com a delegada Sabrina Teixeira, da Delegacia de Polícia para a Criança e o Adolescente Vítimas de Delitos, o homem tem 27 anos e mora há cinco anos na capital gaúcha. Ele é suspeito de abusar sexualmente de duas crianças que eram vizinhas em seu endereço anterior, segundo Sabrina.

Leia:
Cantores de k-pop são presos por estupar mulher desacordada e divulgar vídeos nas redes sociais

As crianças, que têm 9 e 10 anos, teriam sofrido o abuso em um bairro da zona central da cidade, local onde o suspeito morava na época. Foi realizada uma perícia com psicólogos, e nela houve a confirmação dos estupros. Após essa confirmação, a delegada recebeu uma ordem judicial de busca na manhã de hoje. Sabrina se deslocou com sua equipe até o novo endereço do professor universitário e prendeu notebook, celulares, pen drives, HD e máquina fotográfica.

Conforme a delegada, o advogado vai responder por estupro de vulnerável e por produzir as imagens pornográficas durante o ato de violência sexual contra as crianças.

A partir de agora, a polícia e a perícia vão analisar o material que foi apreendido para tentar identificar outras vítimas que podem ter sofrido violência sexual. Conforme o caso, o crime de produzir pornografia infantil pode impor uma pena de quatro a oito anos de prisão. Já para estupro de vulnerável, a pena é de oito a quinze anos. (O Sul)

Patrocínio