Guarda de parque em Viamão é agredido por visitante com enforcador de cães – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Notícias

Guarda de parque em Viamão é agredido por visitante com enforcador de cães

E ao explicar que no parque não existem animais soltos, o visitante se irritou e começou as agressões.

Publicado há

em

Freepik

Um homem, que trabalha como guarda no Parque Saint’Hilaire, em Viamão, foi agredido por um frequentador com um enforcador de cães na manhã deste domingo (19). Gilson Gonçalves Antunes, de 52 anos, relatou que foi agredido na cabeça e no antebraço direito após uma discussão sobre a presença de cães soltos no parque, que é proibido pela administração, que está sob comando da prefeitura de Porto Alegre.

De acordo com Antunes, ao fazer a ronda pelo local, em área de preservação, avistou dois homens acompanhados de dois cães, sem coleiras. Alguns minutos depois, o guarda viu os mesmos dois homens, porém sem um dos animais. A confusão começou com a abordagem do funcionário do parque, que questionou sobre o outro cão.

— Queria saber o que tinha acontecido. É comum o abandono de animais aqui. Um deles disse que cachorros do parque tinham atacado o animal dele e que acabou fugindo.

E ao explicar que no parque não existem animais soltos, o visitante se irritou e começou as agressões.

—Ele ficou furioso. Começou a dizer palavrões, e, do nada, me agrediu com um enforcador de ferro na testa. Depois, tentou outro golpe, mas atingiu o braço porque tentei me defender — disse à GaúchaZH.

O guarda chegou a dar voz de prisão para o agressor, mas ele fugiu correndo a pé. Antunes lembra que pegou carona em um carro de outro visitante do parque e saiu em perseguição pela RS-040.

Próximo ao 18º Batalhão de Polícia Militar, de Viamão, o homem se entregou. Levado para a 1ª Delegacia da Polícia Civil da cidade, o agressor alegou ter sido ameaçado por Antunes com um faca — instrumento usado por guardas-parque, assim como algema e cassetete — o que foi refutado pela vítima. O caso foi registrado pela Polícia Civil como lesão corporal, e o agressor, de 41 anos, foi liberado. Uma guia coleira de metal foi apreendida.

loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: