Dupla é condenada por estupro de mulher desacordada em avenida da zona norte de Porto Alegre – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Polícia

Dupla é condenada por estupro de mulher desacordada em avenida da zona norte de Porto Alegre

Caso gerou polêmica pela disseminação das imagens nas redes sociais

Publicado há

em

Redes Sociais

A dupla denunciada pelo estupro de uma mulher desacordada dentro de um veículo na na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia, na Zona Norte de Porto Alegre, em maio do ano passado, foi condenava a oito e nove anos de prisão. A decisão é do dia 30 de janeiro.

José Carlos Silva da Silva, foi condenado a nove anos de prisão em regime inicialmente fechado. A condenação foi por estupro de vulnerável. Já o outro denunciado foi condenado a oito anos de reclusão em regime semiaberto.

José tem a pena maior por ter sido responsabilizado pela disseminação das imagens nas redes sociais. Ele, que já esta preso preventivamente, deve ser mantido na prisão.

No entanto, Renato Prado de Almeida, advogado de José, antecipa que vai recorrer e tentar a absolvição ou redução da pena.

André Borges Marques Ribeiro, defensor de Fabrício, afirma não ter sido intimado e só irá se pronunciar depois disso. Os dois advogados dizem que a sentença não foi publicada oficialmente.

Relembre o caso

O Ministério Público (MP) denunciou a dupla em agosto por molestarem sexualmente e divulgarem nas redes sociais vídeos do abuso a uma mulher de 37 anos. Ela estava desacordada no banco de carona de um carro ao lado de outro homem, que também estava desacordado.

De acordo com o relato da vítima, os dois haviam consumido álcool em excesso na noite anterior. O que explica o porque o carro foi parado no meio da via. Ao verificar que a mulher estava nua e apenas enrolada em um cobertor, os dois condenados praticaram violência sexual.

Um deles se entregou à polícia no dia 2 de junho e confessou o crime. O outro foi preso no dia 18 do mesmo mês, na casa de familiares, no bairro Humaitá. Ele negou, inicialmente, mas provas periciais da polícia comprovaram a presença de sêmen compatível com seu material genético.

Patrocínio

Desenvolvido por: