Dicas para viajar com os animais sem frustrar as férias de verão – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Variedades

Dicas para viajar com os animais sem frustrar as férias de verão

Publicado há

em




Muitos animais de estimação deverão acompanhar a família nas viagens de férias. Mas, para que tudo aconteça sem sustos, são necessários alguns cuidados preventivos. O mais importante, antes de tudo, é uma visita ao médico veterinário, se possível, com um mês de antecedência. Ele fará uma avaliação do estado de saúde da mascote para que, antes de pegar a estrada, vacinas, vermífugo e antipulgas estejam em dia. Itens de segurança, como caixas de transporte ou cinto de segurança, são fundamentais. Capas específicas para bancos de carros oferecem uma proteção extra, mas não substituem o cinto.




Riscos – Evite colocar o cão na janela, por mais que ele goste. Há o risco dele cair ou ser atingido por objetos estranhos. O vento também pode causar lesões graves de córnea. Em viagens longas, é importante um período de descanso, a cada duas horas. Para embarque em ônibus, avião e em outros países, são exigidos documentos específicos, que devem ser conferidos com antecedência. Microchip e coleira com placa de identificação são essenciais para facilitar a localização caso a mascote se perca.
Enjôos – Contra náuseas, existe medicação específica para animais. Ajuda bastante levar alimentos aos quais estão habituados. A médica veterinária Bruna Barni, da Coordenação de Direitos Animais (CDA) acrescenta que, por serem mais sensíveis, os gatos podem desencadear problemas urinários (obstrução urinária) e até hepáticos (lipidose hepática), “Por não se alimentarem, beberem água e usarem a caixa de areia adequadamente devido ao estresse”, alerta.




Hospedagem – Em função desses cuidados especiais, as pessoas podem decidir por viajar sem os animais. Nesses casos, existem hospedarias especificas para animais domésticos. Cães tem mais facilidade de adaptação a estes ambientes, mesmo assim, é preferível locais onde ele já tenha ficado. Pode ser na casa de familiares ou amigos, em hotéis para cães ou mesmo na residência do tutor, com um acompanhante.
Cuidadores – Gatos podem ficar mais estressados em hotéis, nesses casos o serviço de petsitter, com  profissionais que vão diretamente à casa é o mais apropriado, oferecendo alimentação, higiene e brincadeiras. O ideal é um contato prévio com o cuidador para ser informado das particularidades do animal. Se o pet exige cuidados intensivos de saúde, o mais correto é deixá-lo em uma clinica especializada ou em hospedaria com veterinário plantonista. (PMPA)




Leia:
Menina vê que tem o mesmo cabelo de Maju e emociona apresentadora
loading...
Patrocínio