Dia do Pedestre: 31% dos mortos em atropelamento têm mais de 65 anos, afirma Detran – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Notícias

Dia do Pedestre: 31% dos mortos em atropelamento têm mais de 65 anos, afirma Detran

De 2009 a 2018, 1.277 mulheres morreram em atropelamentos no Estado, contra 2.573 homens, totalizando 3.852 pedestres mortos

Publicado há

em

Foto: Reprodução

Embora sejam 21% das mortes em acidentes de trânsito no Rio Grande do Sul, as mulheres têm uma participação maior entre as vítimas de atropelamentos. Elas representaram cerca de 33% dos pedestres mortos nos últimos dez anos. O levantamento do Detran RS, alusivo ao Dia do Pedestre, apurou outro dado preocupante: 31% dos mortos em atropelamentos têm mais de 65 anos.

Entre 2009 e 2018, 1.277 mulheres e 2.573 homens morreram em atropelamentos no estado, totalizando em 3.852 vítimas. O número representa 20,2% do total de 19.091 mortes registradas no período em consequência de acidentes de trânsito. O risco aumenta conforme aumenta a idade, concentrando-se a maioria das vítimas fatais por atropelamento na faixa acima dos 65 anos. Foram 612 entre 65 e 74 anos, e 583 acima dos 75 no período analisado pelo Detran.

Acidentes

Buscando um diagnóstico da acidentalidade com pedestres para orientar políticas públicas mais eficientes, o Detran detectou que quase 60% dos 3.819 atropelamentos registrados ocorreram nos turnos da noite e madrugada, sendo a iluminação um importante fator a ser observado. Os dias mais críticos são os finais de semana, com quase metade das ocorrências registradas nas sextas, sábados e domingos, podendo ter influência o maior consumo de álcool nesses dias.

Como em cidades a maior circulação é de pedestres, as vias municipais concentram a maioria dos acidentes (54%). Deve ser foco de prefeituras um estudo dos pontos críticos e fatores que incidem nessa alta acidentalidade. O número de atropelamentos em rodovias também é preocupante: foram 1.736 ocorrências no período analisado.

Veículos
[in_article]
Entre os veículos envolvidos em atropelamentos, carro é o mais frequente – até por seu maior volume em circulação (61% da frota gaúcha). Os automóveis representaram 36,5% do total de 4.203 veículos envolvidos em atropelamentos de 2009 a 2018. Na sequência, estão as motos, que são 17% da frota e 15% dos veículos envolvidos com atropelamentos; e os caminhões, que são 4% da frota e 12% dos envolvidos nos acidentes com pedestres.

2019

Os atropelamentos deste ano seguem o mesmo padrão que o período de dez anos analisado: estão concentrados mais em vias municipais (50%), nos turnos da noite e madrugada (31%) e nos fins de semana (54% sextas, sábados e domingos). Assim também o perfil das vítimas: 67% homens e 32% acima dos 65 anos. (O Sul)

loading...
Patrocínio

Desenvolvido por: