Deputados gaúchos aprovam reajuste de 6,48% do mínimo regional
Connect with us

Economia

Deputados gaúchos aprovam reajuste de 6,48% do mínimo regional

Publicado há

em





Por 46 votos a favor e apenas dois contrários, os deputados gaúchos aprovaram na tarde desta terça-feira o reajuste de  6,48% do mínimo regional. Os valores variam de R$ 1.175,15 a R$ 1.489,24, dependendo da categoria profissional.

A votação do piso foi iniciada na terça-feira passada, quando recebeu duas emendas, mas foi interrompida em razão da retirada do quórum parlamentar. Naquela oportunidade, já haviam se utilizado da tribuna os deputados Tarcísio Zimmermann (PT), Nelsinho Metalúrgico (PT), Enio Bacci (PDT), Elton Weber (PSB) e Jeferson Fernandes (PT), que destacaram a a importância do piso aos gaúchos, mas criticaram o governo pela majoração dos salários em índices abaixo da inflação e aquém das necessidades dos trabalhadores.

Também defenderam a aprovação de emenda de autoria dos deputados Elton Weber (PSB), Álvaro Boessio (PMDB) e Stela Farias (PT), que pretendia elevar os valores iniciais previstos pelo governo em cerca de R$ 18 a cada categoria, atendendo a reivindicações das centrais sindicais. A emenda acabou sendo prejudicada, nesta tarde, em razão de requerimento de preferência do líder do governo, deputado Gabriel Souza (PMDB), para a apreciação do texto original do projeto.

Notícia Relacionada:
BB anuncia crédito imobiliário mais barato para prazos menores, mostra documento

Ainda na tarde de hoje, usaram da tribuna os deputados Adão Villaverde (PT), Altemir Tortelli (PT), Stela Farias (PT), Pedro Ruas (PSOL), Miriam Marroni (PT), Juliano Roso (PCdoB), Jeferson Fernandes (PT) e Tarcísio Zimmermann (PT), que defenderam a reposição inflacionária de 8,01%, ao invés dos 6,48% constantes da proposta governamental, e, assim, defenderam a aprovação da emenda que pretendia elevar os valores previstos, recompondo em parte as perdas da classe trabalhadora. Zilá Breitenbach (PSDB) comentou que a alteração constitucional que instituiu os pisos regionais data do governo Fernando Henrique Cardoso e que, durante sua apreciação, teria tido a obstrução do PT, motivo pelo qual refutou pronunciamentos de parlamentares petistas que hoje criticam o governo Sartori. O peemedebista Gilberto Capoani manifestou-se contrário à aprovação da emenda, apesar de favorável ao projeto, e também criticou os petistas pelo discurso do partido, em 2000, de que a instituição dos pisos salariais regionais era uma “má ideia”.

Notícia Relacionada:
Preço de gasolina e diesel pode subir até 10% no Brasil após ataque a instalações na Arábia Saudita

Retirada da Ordem do Dia

Ofícios do governador José Ivo Sartori retiraram o regime de urgência para votação de cinco propostas do Executivo, que, agora, seguem tramitação normal na Casa. As matérias foram retiradas da Ordem do Dia, após aprovação, por unanimidade, de requerimentos do líder do governo, deputado Gabriel Souza (PMDB).

Para o líder do governo do Estado na Casa, deputado Gabriel Souza (PMDB), a aprovação do texto sem as emendas representa uma vitória do governo e da sociedade. “Nós estamos oferecendo um reajuste, ainda mais em época de crise, de acordo com a capacidade financeira, de pagamento das empresas”, destacou.

A votação do piso foi iniciada na terça-feira passada, mas foi interrompida em razão da retirada do quórum pelos parlamentares. (Correio do Povo)



loading...
Patrocínio