Deputado gaúcho cria frente parlamentar para combate e prevenção ao câncer infantil
Connect with us

Política

Deputado gaúcho cria frente parlamentar para combate e prevenção ao câncer infantil

De acordo com o INCA, os tumores mais frequentes em crianças e adolescentes no país são as leucemias

Publicado há

em

Foto: Shutterstock

Os deputados federais criaram uma frente parlamentar sobre prevenção e combate ao câncer infantil no país. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, a doença atingiu cerca de doze mil e quinhentas crianças e adolescentes no Brasil em 2018. O grupo será comandado pelo deputado gaúcho Bibo Nunes, do PSL, e terá sede em Brasília. De acordo com o deputado muitas vezes os casos não recebem a atenção necessária e a ideia é concentrar esforços para combater a doença.

“Nós vamos lutar pelos hospitais, pelos atendimentos, por recursos para o câncer, para fazermos tudo o que for melhor para o câncer infantil, em todos os segmentos e todos os sentidos. A conscientização, precisamos de apoio financeiro, hospitais. Inclusive, tem uma proposta que nós temos que falar com o ministro da educação para que, na faculdade de medicina, se dê mais atenção para o câncer infantil.”

Notícia Relacionada:
Prefeitura cede imóvel para instalação de delegacia de polícia

O presidente do Instituto do Câncer Infantil, Algemir Brunetto também participa do grupo. Ele afirma que a medida é de grande importância para cada vez mais pessoas tenham acesso ao diagnóstico e o tratamento.

“Temos uma estimativa de mais de 12 mil casos de câncer em criança e adolescente anualmente no país. Estima-se que em torno de 3 mil pacientes nem se quer chegam a receber tratamento pelas dificuldades sociais, pela distância ou falta de encaminhamento a tempo.”

Ainda de acordo com o médico oncologista, Algemir Brunetto, a ação conjunta entre entidades e Estado deve trazer inúmeros benefícios à sociedade. Ter uma frente parlamentar com recursos públicos que permitam que os cientistas se dediquem mais ao estudo, é de importância fundamental para o avanço no tratamento da doença.

“Construir um consenso para que essas políticas públicas contemplem um sistema de encaminhamento mais ágil, capacitação de profissionais e tudo aquilo que se faz necessário para que o paciente tenha o diagnóstico mais precoce possível e também receba o tratamento em centros especializados.”

Notícia Relacionada:
Queda de árvore suspende aulas de escola da Zona Leste

A frente foi instaurada com 221 assinaturas de deputados. O número mínimo para a criação da frente é de 180 deputados. (Eduarda Oliveira | Band)

Patrocínio