Cpers diz que governo pretende fechar 2 mil turmas em 2019 e 5 mil até 2022; Seduc nega – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Educação

Cpers diz que governo pretende fechar 2 mil turmas em 2019 e 5 mil até 2022; Seduc nega

A medida deve agravar o quadro de fechamento de escolas, de municipalizações de colégios, de enturmações e de multisseriações.

Publicado há

em

Foto: Cpers

Créditos da foto da notícia: Foto: Cpers.

Por Luís Eduardo Gomes | Sul21

Após coletiva chamada para a apresentação de uma carta com críticas dos servidores ao governo Leite, a presidente do Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers), Helenir Aguiar Schürer afirmou que o sindicato obteve informações de que o programa de metas do Executivo estadual para a educação prevê o fechamento de 2 mil turmas até o final do ano e de 5 mil turmas até o final da gestão. As metas também incluiriam a transformação de 480 escolas em instituições que passariam a trabalhar em apenas um turno.

Para Helenir, a medida deve agravar o quadro de fechamento de escolas, de municipalizações de colégios, de enturmações e de multisseriações. “Temos informação de que já está acontecendo enturmação, desmontando turmas, juntando turmas no máximo da capacidade possível e também fazendo multisseriação. A LDB é bem clara, cada aluno do Ensino Fundamental tem direito a 800 horas de aulas. Como o aluno vai gozar desse direito se tem na mesma sala de aula três séries diferentes? O máximo que vai ter é 400”, disse.

Leia:
Divulgados os gabaritos do último dia de provas do vestibular da UFRGS

Helenir destacou que o fechamento de turmas também consiste em um problema pedagógico. “A educação não existe sem afetividade. Tu imagina que a tua filha tem o professor dela, tem os coleguinhas e de repente não tem mais nada. Fecha aquela turma, junta com outros colegas diferentes, professor diferente. Quem não é da área da educação não sabe a perda muito grande que se dá na criança. É um sentimento de perda mesmo. ‘Por que eu perdi a minha professora e os outros coleguinhas não?’ São traumas que são criados e parece que isso se torna irrelevante aqui no Estado quando se pensa em fechar turmas ou fazer enturmação ou multisseriação”, disse.

Leia:
O combate à evasão escolar é um dos desafios da rede municipal de ensino de Porto Alegre para o ano que vem

Procurada, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou por meio de sua assessoria que está realizando estudos, mas que ainda não há decisões sobre fechamento de turmas e de escolas no momento. A pasta nega os números apresentados pelo Cpers e diz que não há projeções sendo realizadas. Além disso, destaca que a gestão de turmas já vem sendo realizada há pelo menos 10 anos e acompanha a demanda de alunos.

Dados do Censo Escolar de 2019 apontam que 37 escolas foram fechadas no RS nos últimos anos. Em cinco anos, o número de turmas oferecidas caiu 11,7%. Por outro lado, entre 2017 e 2018, o número de matrículas caiu de 930.616 para 880.168.

Leia:
Coletivo de educação oferece aulas gratuitas preparatórias para as provas da UFRGS

No entanto, a presidente do Cpers argumenta que ainda há muitos jovens em idade escolar fora de escola e que o governo deveria ir atrás deles antes de promover a redução da oferta. “Seria muito bem recebido se o Estado dissesse que iria começar uma ação pró-ativa para buscar esses alunos e trazê-los para dentro da escola. Não, o governo infelizmente está vendo a educação como um enxugamento para poupar dinheiro. Quando tu pensa na educação como um gasto, é um problema. Quem não enxergar a educação como investimento, nunca dará a importância real que a educação deveria ter”.

loading...
Patrocínio