Conheça a história do bairro Lami – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Bairros Poa

Conheça a história do bairro Lami

Publicado há

em

Compartilhe 📣





O Lami, até a década de 70, se caracterizava por ser um bairro povoado por pescadores e bastante isolado do restante da cidade. Nessa época, era possível para seus habitantes tirar do Guaíba seu sustento, pois as águas do rio não se apresentavam impróprias para estas atividades. O fato de não possuir vias de ligação com o centro da cidade dificultava muito tanto atividades balneárias por parte dos demais portoalegrenses, como uma maior integração econômica entre os pescadores e os locais de venda de seus produtos.

A situação começaria a mudar a partir da década de 70, quando dois fatores influíram para uma maior atenção em relação ao bairro: a construção de uma estrada de asfalto entre o Belém Novo e o Lami, bem como a constituição da Reserva Biológica do Lami.




Esse novo acesso ao bairro Lami possibilitou uma integração econômica com o restante da capital, assim como as atividades turísticas puderam ser desenvolvidas a partir de então. Já a Reserva Biológica do Lami representou uma das primeiras iniciativas ambientais implantadas por qualquer capital do Brasil. No entanto, ainda na década de 50, aquela área fora inicialmente projetada para abrigar uma vila popular e depois pensada como um possível local para a sede recreativa dos funcionários municipais. Ambas as propostas foram abandonadas devido ao terreno alagadiço, que forçava a necessidade de um aterro prévio, tornando muito caros tais projetos.

Inicialmente projetada para possuir uma extensão de 71 hectares, a Reserva abarcava toda uma vegetação que, embora não mais original, se apresentava bastante diversificada, com árvores como figueiras, ipês e araçazeiros, bem como uma fauna (mais da metade das aves registradas em Porto Alegre) que sazonalmente retorna à região em busca de repouso. A área seria destinada a pesquisas, e não à visitação pública. Depois de ter anexada a região do Arroio do Lami, a Reserva Biológica passou a ter 180 hectares, através da compra de terrenos limítrofes.




Outro destaque do bairro é a presença da Reserva Indígena Guarani, que continha 23 famílias guaranis em fevereiro de 2005.

A instalação do aterro sanitário do Lami foi motivo de discussão, devido à proximidade deste com a Reserva Biológica. Apesar de possuir um tempo de uso de 61 apenas 5 anos (a partir da sua finalização em 1997), foi responsável pelo processamento de metade de todo lixo produzido pela capital em 2000.

Depois de sofrer com sérios problemas de falta de infra-estrutura durante a década de 80, o Lami foi progressivamente recuperado. O bairro foi o primeiro a ter suas águas liberadas para banho, em 1992, e através de um novo projeto de urbanização e paisagismo, recebeu um calçadão e um novo sistema de iluminação pública. (PMPA)




Compartilhe 📣
loading...
Patrocínio
Patrocínio
Patrocínio

Patrocínio