Conheça a história do gaúcho que fez de graça 300 casinhas para cachorros de rua em apenas 1 ano
Connect with us

Notícias

Conheça a história do gaúcho que fez de graça 300 casinhas para cachorros de rua em apenas 1 ano

s casinhas fabricadas por ele estão espalhadas por residências, calçadas e praças do Estado inteiro. ​

Publicado há

em

Reprodução / Facebook

Uma entrevista divulgada pela Gaúcha ZH mostra a vida do eletricista Felipe Hilário Meireles, de 50 anos. Ele é responsável pela construção de mais de 300 abrigos para cães em situação de rua em apenas 12 meses. Seu projeto, chamado de “Casinhas Azuis”, celebrou o primeiro ano de aniversário.

Apesar do fluxo de trabalho, Meireles nunca buscou receber por isso, faz apenas pelo prazer de fazer o bem. As casinhas fabricadas por ele estão espalhadas por residências, calçadas e praças do Estado inteiro. ​

— Estou com mais de 50 pedidos pendentes. Meu sonho é levar o projeto para o Brasil todo – disse Meireles.

Segundo o eletricista, tudo começou onde ele mora, em Cachoeirinha, na região Metropolitana de Porto Alegre, quando uma professora pediu ajuda para abrigar um cachorrinho de rua que estava andando perdido nas proximidades da escola onde ela trabalha.

Leia:
Vídeo: Operação que investiga cemitério clandestino na Região Metropolitana prende dois nesta quinta-feira

Bom de marcenaria, Meireles se ofereceu para produzir a casinha, que até hoje está instalada em uma praça virando referência para 1,8 mil voluntários gaúchos e protetores de animais que castram, medicam e encaminham para adoção.

— Quem adota já leva a casinha junto — sorri Meireles. 

A Prefeitura de Cachoeirinha apoia a instalação dos abrigos em via pública e ajuda o trabalho de Meireles recolhendo sobras de madeiras na sua casa, para o descarte mais adequado. A ação acaba destoando da polêmica gerada em Porto Alegre, pelas casinhas instaladas no bairro Jardim do Salso, que inclusive foram produzidas por ele. No entanto, desde que o governo da Capital tentou remover as estruturas, em abril, as solicitações por novas casinhas cresceram 40%, segundo Meireles.

Leia:
Liberação de recursos para o Centro de Eventos é prorrogada

— Acho que acabou sensibilizando o pessoal — acredita ele.

Patrocínio