Com investimento de 40 milhões, Carris vai passar por reestruturação e renovação da frota – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Notícias

Com investimento de 40 milhões, Carris vai passar por reestruturação e renovação da frota

Prefeito envia projeto para investir em 87 novos ônibus da Carris

Publicado há

em

Foto: Maria Ana Krack/PMPA

O documento que permitirá que a Carris, empresa de transporte público de Porto Alegre, se reestruture foi assinado nesta terça-feira (24) pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior. O contrato com a empresa Maciel Auditores servirá para realizar estudos de viabilidade econômico-financeira, jurídica, contábil e técnico-operacional da Carris. O diagnóstico deve ter a primeira fase pronta em 180 dias.

“A ideia é fundamentar criteriosamente quais serão os melhores cenários para a sua evolução. A partir disso, encaminharemos uma solução de longo prazo, seja pela privatização ou outro caminho que permita a sustentabilidade por muitos anos”, explicou o secretário de Parcerias Estratégicas, Thiago Ribeiro.

Marchezan ainda anunciou o envio à Câmara de Vereadores de projeto de lei que pede a autorização para o financiamento de R$ 40 milhões na Caixa para renovar a frota de ônibus da Carris. O objetivo é adquirir 87 ônibus modernos e equipados com GPS, ar-condicionado e acessibilidade para qualificar o atendimento aos 141 mil cidadãos transportados diariamente em Porto Alegre.

Leia:
Ministério Público pede a absolvição de Lula, Dilma e Palocci em ação sobre o “quadrilhão do PT”

Conforme o secretário de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Marcelo Gazen, o transporte coletivo é uma das prioridades desta administração. “Desde 2017, temos nos empenhado para aprimorar nossa base de dados com a meta de qualificar a estratégia de negócios e melhorar a tomada de decisão da Carris”, observa.

Déficit histórico

– Com um déficit de R$ 74,2 milhões, a atual gestão assumiu em 2017 com o propósito do reequilíbrio financeiro;
– Ao elaborar um plano de gestão, foi possível reduzir para R$ 43 milhões negativos o resultado já no primeiro ano de implantação;
– Em 2018, foram R$ 19,2 milhões de prejuízo, uma redução de 74% em relação a 2016, o que representa diminuição de R$ 55 milhões; no déficit;
– Até agosto de 2019, o resultado financeiro atingiu R$ 11,2 milhões negativos.

Leia:
Brasil abandona horário de verão depois de 34 anos

(O Sul)

Patrocínio