Com 624 vagas, Penitenciária Estadual de Porto Alegre começa a receber presos em outubro – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Polícia

Com 624 vagas, Penitenciária Estadual de Porto Alegre começa a receber presos em outubro

Publicado a

em

A Penitenciária Estadual de Porto Alegre entrará em operação a partir de outubro. A data foi confirmada na manhã desta quinta-feira, durante vistoria do secretário da Segurança Cezar Schirmer e do responsável pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) Ângelo Carneiro. No dia 27, os agentes penitenciários que vão atuar no local estarão concluindo o curso de formação.

Situada ao lado da Cadeia Pública (antigo Presídio Central) e com acesso próprio, a casa prisional possui 416 vagas e vai incorporar os dois centros de triagem existentes na mesma área e que serão transformados em dois anexos, com 96 e 112 vagas respectivamente. “Serão 624 vagas a mais no sistema prisional”, enfatizou. “Essa é uma obra que tem um caráter diferenciado e inovador por que é resultado de uma parceria com o Grupo Zaffari”, lembrou.



O perfil dos apenados recolhidos na Penitenciária Estadual de Porto Alegre ainda está sendo estudado, mas deve ser semelhante ao adotado no Complexo Penitenciário de Canoas que pretende impedir a presença de integrantes de facções criminosas. “O domínio absoluto da distribuição dos presos nas celas e galerias é do poder público. Aqui não é o preso que vai escolher onde quer ficar”, assegurou Schirmer. “A ocupação será progressiva”, observou. O secretário confirmou, porém, que alguns detentos também serão trazidos da Cadeia Pública. “Estaremos definindo oportunamente”, afirmou.

A estimativa é de que entre 80 e 100 servidores trabalhem no local. O superintendente da Susepe Ângelo Carneiro ressaltou que os agentes penitenciários não mantêm contato direto com os presos, atuando em um piso superior e controlando as portas das celas que contam com três travas de segurança. Nos setores de cozinha, limpeza e lavandeira, vão trabalhar detentos com bom comportamento e cujas celas ficarão separadas dos demais apenados. Na segurança do estabelecimento prisional, o projeto é de futuramente dotá-lo de bloqueador de celulares e até scanner corporal das visitas que passarão por uma ala de controle. Existe também uma área com celas onde ficarão os presos antes do ingresso efetivo nas galerias.

Outros presídios

Cezar Schirmer aproveitou ainda para detalhar as outras novas casas prisionais. Em Sapucaia do Sul, o futuro presídio com cerca de 600 vagas sairá do papel tão logo seja assinado o contrato. Em Bento Gonçalves, a conclusão da obra da penitenciária, com 420 vagas, deve ocorrer entre dezembro e janeiro. Ele recordou que, com a curso de formação no dia 27, cerca de 200 agentes penitenciários estarão prontos para atuar no sistema carcerário gaúcho. (Correio do Povo)



Patrocínio

Publicidade

Patrocínio
Patrocínio