Cientistas criam pulseira inteligente que ajuda a prever crises em autistas
Connect with us

Notícias

Cientistas criam pulseira inteligente que ajuda a prever crises em autistas

Eles estudaram cada episódio agressivo para entender quais eram as mudanças físicas que aconteciam antes da crise e então atualizaram o dispositivo com estas informações.

Publicado há

em

(Foto: Universidade de Northeastern/Divulgação)

O cientista comportamental da Universidade de Northeastern, Matthew Goodwin, e seu time criaram uma pulseira inteligente capaz de prever crises em pessoas autistas. Para que isso aconteça, os pesquisadores criaram um dispositivo que monitora a frequência cardíaca, produção de suor, temperatura da pele e movimentos dos braços.

Segundo os resultados coletados pela equipe, a pulseira consegue prever a crise com 60 segundos de antecedência e 84% de precisão. Embora o tempo entre o aviso e a explosão seja curto, ele dá a oportunidade para que o responsável tente acalmar o indivíduo e garantir que todas as outras pessoas presentes fiquem seguras.

Para coletar estes dados, Goodwin e seu time observaram 20 crianças autistas por um período de 87 horas. Eles estudaram cada episódio agressivo para entender quais eram as mudanças físicas que aconteciam antes da crise e então atualizaram o dispositivo com estas informações.

Leia:
Site ajuda população de Porto Alegre a buscar remédios na rede de saúde

Graças a um investimento feito pelo Departamento de Defesa dos EUA, os pesquisadores esperam testar o dispositivo em 240 pessoas. Eles acreditam que com mais dados e equipamentos mais sofisticados, a pulseira possa prever as crises com mais de 60 segundos de antecedência.

Em entrevista para a universidade, Matthew Goodwin fala sobre as mudanças que a pulseira pode trazer para os pais de crianças autistas: “Famílias que têm crianças que agem agressivamente falam que não sabem o que causa as crises e que eles têm medo de que possa acontecer a qualquer momento e por isso, acabam se isolando dentro de casa”. O pesquisador continua: “alguns pais nos disseram que mesmo se só conseguirmos oferecer 60% de precisão já é melhor do que apostar na sorte, que é o que eles tem agora”.

Leia:
Porto Alegre se ilumina de rosa na luta contra o câncer de mama

Livro

“As leis específicas que visam a proteção dos direitos das pessoas com autismo demonstram a preocupação com os princípios consagrados pela Constituição Federal: igualdade, dignidade da pessoa humana, garantia da educação para todos, igualdade de condições de acesso e permanência na escola”, afirmou a advogada Diana Serpe no livro “Autismo e Educação – O que a lei brasileira garante”, liberado para download gratuito.

“Acima de tudo, essas legislações visam a tão almejada inclusão do autista”, destacou a advogada. Diana Serpe é especialista na defesa das pessoas com deficiência. Atende crianças e adolescentes com o Transtorno do Espectro Autista, além de seus familiares. A ideia de escrever o livro nasceu da necessidade de esclarecer dúvidas, apresentar o cenário atual da inclusão na escola e explicar o que pode e deve ser feito.

Leia:
Narrador ex-grupo Globo morre aos 45 anos

“O objetivo é levar informações sobre os direitos dos autistas de forma simples, gratuita e de fácil acesso. As entidades que apoiam o projeto têm trabalhos muito importantes. Eu, que conheço de perto e com profundidade as necessidades das pessoas com deficiência, espero colaborar ainda mais com essas informações e esclarecer todas as dúvidas”, ressaltou Diana. (O Sul)

loading...
Patrocínio