“A casa caiu”: Bolsonaro acusa Leonardo DiCaprio de ter financiado ONG suspeita de ter iniciado queimadas na Amazônia – Porto Alegre 24 Horas
Connect with us

Política

“A casa caiu”: Bolsonaro acusa Leonardo DiCaprio de ter financiado ONG suspeita de ter iniciado queimadas na Amazônia

Quatro homens foram presos por suspeita de participação em incêndios na Amazônia. A Justiça, porém, determinou a soltura

Publicado há

em

Reprodução Instagram

O presidente Jair Bolsonaro comentou na noite desta quinta-feira (28/11/2019) a prisão de quatro brigadistas de Alter do Chão, no Pará, por suspeita de participação em queimadas na Amazônia: “A casa caiu”, afirmou, em transmissão ao vivo por rede social.

Nesta tarde, porém, pouco antes de Bolsonaro começar a live no Facebook que costuma fazer todas as quintas-feiras desde o início do governo, a Justiça determinou a soltura dos quatro suspeitos. Em vez da prisão, o juiz o determinou que eles cumpram medidas cautelares.

O presidente disse ainda que o ator Leonardo DiCaprio pagou o “mico do ano” por ter doado dinheiro para a WWF-Brasil após a ONG ter “encomendado uma fotografia de queimadas”. A WWF nega que tenha pago por qualquer imagem e que tenha recebido dinheiro do artista. O Ministério Público Federal (MPF) afirma que em nenhum momento a investigação federal que vem sendo feita apontou para ONGs ou brigadistas, mas a grileiros e proprietários de terra.

Leia:
Governo fecha acordo de leniência de R$ 1,9 bilhões com a OAS

“O que eles fizeram? O que é mais fácil? Tacar fogo no mato. Tira foto, filma, manda para a ONG, a ONG divulga aquilo, faz uma campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio e então o Leonardo DiCaprio doa 500 mil dólares para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tacando fogo. Ô, Dicaprio, você está colaborando para a queimada na Amazônia, pô. Assim não dá”, disse.

O presidente lembrou que foi criticado quando direcionou suspeitas a ONGs pelos incêndios. “Me acusaram de ser conivente com as queimadas. Eu falei que suspeitava de ONGs. Pronto. A imprensa, três, quatro dias, comendo meu fígado”, reclamou.

(Metrópoles)

Patrocínio